sexta-feira, dezembro 31, 2010

Olhos e Orelhas: Terceiro Quadrimestre de 2010

A literatura: «Cartas da Península (1808–1812)», William Warre; «A Invenção da Modernidade (Sobre Arte, Literatura e Música)» e «Os Paraísos Artificiais», Charles Baudelaire; «A Luz Miserável», David Soares; «Mucha», David Soares, Mário Freitas e Osvaldo Medina; «O Deus Selvagem», Jacques Martin; «Noite de Paz», «Os “mininos” da noite» e «O teste», João Barreiros.
A música: «Swing When You’re Winning», Robbie Williams; «Pano Cru», Sérgio Godinho; «Para Além Da Saudade», Ana Moura; «Canção Ao Lado», Deolinda; «Surrealistic Pillow», Jefferson Airplane; «Elephant», White Stripes; «Intuition», Jamie Foxx; «M80 Rádio – Todos os Êxitos dos Anos 70, 80 e 90», A-Ha, Bangles, Buggles, Boney M, Cheap Trick, e outros; «As Árias de Luísa Todi», Antonio Sachinni, Giovanni Paisiello, Niccolò Piccinni, e outros (por Joana Seara e Os Músicos do Tejo dirigidos por Marcos Magalhães).
O cinema: «O Último Condenado à Morte», Francisco Manso; «Manô», George Felner; «Trópico Trovão», Ben Stiller; «Tragam o Carter», Stephen T. Kay; «Homem de Ferro 2», Jon Favreau; «Seguinte», Lee Tamahori; «2012», Roland Emmerich; «Suicídio Encomendado», Artur Serra Araújo; «Darjeeling, Limitada», Wes Anderson; «A Esposa do Astronauta», Rand Ravich; «Quatro Irmãos», John Singleton; «O Lobisomem», Joe Johnston; «Tomada», Pierre Morel; «Uma História de Violência», David Cronenberg; «O Perfume – A História de um Assassino», Tom Tykwer; «O Incrível Hulk», Louis Leterrier; «O Fazedor de Chuva», Francis Ford Coppola; «Duplicidade», Tony Gilroy; «Milionário Cão de Favela», Danny Boyle; «A Mulher do Próximo», José Fonseca e Costa; «Retorcido», Philip Kaufman; «Vicky Cristina Barcelona», Woody Allen; «As Consequências do Amor» e «O Divo», Paolo Sorrentino; «Histórias à Hora de Deitar», Adam Shankman; «Corrida da Morte», Paul W. S. Anderson; «Shrek Para Sempre», Mike Mitchell; «Domino», Tony Scott.
E ainda...: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira/Celeiro da Patriarcal – Exposições «Colectiva da Associação de Artistas Plásticos do Concelho de Vila Franca de Xira» + «11ª Bienal de Fotografia»; Fundação Millenium BCP/Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros – Exposição «Ossos que contam História»; Sociedade Histórica (/Palácio) da Independência de Portugal/Causa Real/Plataforma do Centenário da República – Exposição «A Repressão da Imprensa na Primeira República»; Centro de Estudos Anglísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – Colóquio «Mensageiros das Estrelas – Ficção Científica & Fantasia»; Biblioteca Nacional de Portugal – Exposições «Cartas de Jogar – Da Fábrica à Mesa» + «Res Publica – Cidadania e Representação Política em Portugal – 1820-1926»; Penthouse Portugal Nº 1; Épica/Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro – Fórum Fantástico 2010; Casa da Juventude do Sobralinho – Exposição dos Alunos das Turmas de Artes da Escola Secundária Reynaldo dos Santos; Sociedade Histórica (/Palácio) da Independência de Portugal – Exposição de Pintura de Gabriela Marques da Costa «D. João IV e a Restauração».

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Orientação: Sobre territórios, no Público

Na edição de hoje (Nº 7570) do jornal Público, e na página 29, está o meu artigo «Marcar território(s)» - uma breve reflexão, a partir da luta de Aminatu Haidar pela autodeterminação do Saara Ocidental, sobre os territórios – incluindo Olivença – que ainda hoje estão sob soberanias ilegítimas. (Transcrição do texto no Esquinas (84) e no MILhafre (24).)

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Obituário: Carlos Pinto Coelho

Foi hoje a sepultar Carlos Pinto Coelho, que faleceu na passada quarta-feira, 15 de Dezembro, aos 66 anos de idade. Depois de João Aguiar, é o segundo grande jornalista que conheci pessoalmente a desaparecer este ano.
Só por duas vezes me encontrei com ele: a primeira, algures no início dos anos 90, na RTP (ainda na Avenida 5 de Outubro), com o meu amigo Luís Ferreira Lopes, para conversarmos e obtermos informações sobre os planos da estação de televisão pública para o espaço da língua portuguesa, de que resultariam textos mais tarde incluídos no nosso livro «Os Novos Descobrimentos»; a segunda, precisamente, aquando do lançamento daquela obra, a 17 de Julho de 2006, em que ele foi um dos apresentadores – uma honra que nos concedeu e de que muito nos orgulhamos.
Agora, e como sempre acontece em ocasiões como esta, são muitos os que afirmam que ele era – é – um (bom) exemplo, uma referência, os que enaltecem a sua generosidade e a sua competência. Enfim, um homem cheio de qualidades pessoais e profissionais – o que é rigorosamente verdade e não um trivial, costumeiro, elogio póstumo. E, para além disso, era um autêntico, entusiasta, e com provas dadas, lusófono – que, por isso mesmo, e obviamente, era contra essa abominação conhecida como «acordo ortográfico». Também nisso vamos sentir a falta dele… (Homenagem também no Esquinas (82) e no MILhafre (22).) 

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Outros: «Poemas» na Sábado

Na edição de 16 de Dezembro de 2010 (Nº 346) da revista Sábado, e na página 51, está uma referência de Nuno Rogeiro à edição, pela Saída de Emergência e com a minha selecção e tradução, de «Poemas» de Alfred Tennyson e à sua «lírica vitoriana, épica e intensa».

quarta-feira, dezembro 15, 2010

Observação: Fascismo linguístico

Quem foi que disse que, em Portugal, «fascismo nunca mais»? Quem quiser conhecer um exemplo recente de fascismo – fascismo linguístico, sim, mas fascismo – só tem de ir aqui. Em complemento, quem quiser conhecer um exemplo recente (há outros…) de colaboracionismo – no sentido de «não só sei que já não tenho coluna vertebral como também gostei que ma tirassem» - só tem de ir aqui. Exagero? Então quando meia dúzia de pervertidos - pervertidos culturais (pelo menos…), sim, mas pervertidos – impõem, ou tentam impor, pela força, a um país uma mudança anormal, artificial, inútil, ridícula, em algo de essencial, e que é rejeitada pela quase totalidade da sua população… isso é o quê? Resta agora saber quantos, e quais, vão ser os «resistentes», e se vão ou não entrar na «clandestinidade». Nesta questão a minha posição continua(rá) a ser: «Não passarão!» Pela pena e, se for preciso, pela espada.

terça-feira, dezembro 07, 2010

Outros: Livros para oferecer no Natal…

… Ou em qualquer dia do ano, estes publicados em 2010, são os que a seguir sugiro, da autoria de pessoas que admiro e que estimo, cujos conhecimentos e talentos nos asseguram sempre experiências enriquecedoras. Assim, e por ordem alfabética do primeiro nome: «Dançar para a República», (coordenação de) Daniel Tércio; «A Luz Miserável», David Soares; «Vaporpunk – Relatos Steampunk Publicados Sob as Ordens de Suas Majestades», (organização de) Gerson Lodi-Ribeiro e Luís Filipe Silva; «De uma Família de Mareantes», João Afonso Machado; «Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas», (organização de) João Seixas; «Alex 9 – A Coroa dos Deuses», Martin S. Braun; «As Memórias Secretas da Rainha D. Amélia», Miguel Real; «Só Agora Vejo Crescer em Mim as Mãos de Meu Pai», (organização de) Ozias Filho; «Viagens na Minha Terra com Vampiros», Pedro Manuel Calvete (e Almeida Garrett); «Aventuras Fantásticas – Três Fantasmas, Duas Revoluções», Sérgio Franclim.

sexta-feira, novembro 26, 2010

Orientação: Sobre uma «ocupação» pela CML

A partir de hoje no Esquinas (81) e no MILhafre (21) está um relato de uma apropriação muito pouco ética, feita pela Câmara Municipal de Lisboa, de elementos do projecto Ópera do Tejo/Lisboa Pré-Terramoto de 1755, que eu iniciei em 2004.

quarta-feira, novembro 17, 2010

Opções: Pelo Jardim Botânico de Lisboa

Assinei hoje a petição «Em defesa da missão do Jardim Botânico e da sua sustentabilidade ambiental, social e económica a longo prazo…» Quem quiser fazer o mesmo deve ir aqui. Esta é uma posição que reiterei no Esquinas (80) e no MILhafre (20).

domingo, novembro 14, 2010

Obrigado: Aos que…

… Me convidaram para estar presente enquanto orador, e, por isso, também aos que me ouviram, no colóquio «Mensageiros das Estrelas», na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, a 3 de Novembro, e no Fórum Fantástico 2010, na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Lisboa, a 13 de Novembro.
Junto aqui, nos agradecimentos, os dois eventos porque, para além das proximidades temática e temporal, houve pessoas em comum a ambos. Um exemplo, Safaa Dib, responsável com Rogério Ribeiro pelo Fórum, e que também integrou a comissão organizadora do «Mensageiros», juntamente com Adelaide Serras, Ana Coelho, Ana Martins, Angélica Varandas, Duarte Patarra, José Duarte e Luís Filipe Silva - uma equipa em estreita ligação com o Centro de Estudos Anglísticos da FLUL, entidade que foi a principal responsável pela iniciativa. Outro exemplo, David Soares, que esteve ao meu lado nos dois encontros; no primeiro, acompanharam-nos na nossa sessão António de Macedo, Inês Botelho e Margarida Vale de Gato; no segundo, acompanharam-nos na nossa sessão João Barreiros e Rui Tavares.
Por fim, um agradecimento especial: a Gisela Monteiro pelas fotografias na FLUL e na BMOR, embora, obviamente, eu não constituísse o pretexto principal das mesmas ;-) ; e a Raquel Garrido pelos vídeos de «Lisboa Fantástica».  

terça-feira, novembro 02, 2010

Oráculo: Dia 13 no FF 2010

Entre os próximos dias 12 e 14 de Novembro vai realizar-se, na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Lisboa (Telheiras), o Fórum Fantástico 2010. É organizado pela Épica/Associação Portuguesa do Fantástico nas Artes, que me convidou para estar presente como participante num painel marcado para o dia 13, entre as 15 e as 16 horas, sobre o tema «Lisboa Fantástica» - para o qual foram também convidados David Soares, João Barreiros e Rui Tavares, este como moderador. (Referência também aqui e aqui.)

sexta-feira, outubro 15, 2010

Oráculo: Em Novembro no MdE

Entre os próximos dias 2 e 5 de Novembro vai realizar-se, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o colóquio «Mensageiros das Estrelas – Ficção Científica & Fantasia». É organizado pelo Centro de Estudos Anglísticos daquela universidade, que me convidou para estar presente como participante numa sessão/mesa-redonda marcada para o dia 3, entre as 11.30 e as 12.30, no Anfiteatro III da FCUL, sobre o tema «Vinte coisas que aprendemos da literatura fantástica» - para a qual foram também convidados António de Macedo, David Soares, Inês Botelho e Margarida Vale de Gato, esta como moderadora.

terça-feira, outubro 05, 2010

Orientação: Sobre «esforço patriótico»

No Esquinas (79) e no MILhafre (19) está a partir de hoje uma breve «dissertação» sobre um «esforço» que todos os portugueses podem e devem fazer «a favor» da República – mas aconselha-se, porém, que se «tape o nariz» durante a leitura.

Observação: As «mulheres da República»

Para o segundo volume de «A República Nunca Existiu!» (que é, recordo, um projecto literário, artístico, cultural, e não político), tal como para o primeiro, eu e a Saída de Emergência convidámos vários escritores mas nem todos aceitaram. Porém, há que distinguir entre os que responderam ao convite, embora recusando (e justificando), e os que nem sequer responderam; entre estes está Patrícia Reis.
Após repetidos contactos telefónicos e electrónicos com o escritório onde trabalha aquela escritora e jornalista, editora da revista… Egoísta, foi-me dito que «se a senhora (Reis) não respondeu, então é porque (a resposta) é não.» Digo eu: se a senhora não respondeu é porque tem (teve) má educação, não tem boas maneiras. Uma atitude que contrasta, por exemplo, com a da sua amiga Inês Pedrosa, actualmente directora da Casa Fernando Pessoa (mas que não tenho a certeza de que saiba o que aquele poeta pensava da República), que, amável e correctamente, respondeu ao meu convite, embora recusando.
Interessante e ironicamente, algum tempo depois soube, pelo próprio blog da Sra. Reis, que ela tinha pronto um novo livro da sua série «O Diário do Micas» intitulado «Mistério na Primeira República», em cuja sinopse se pode ler o seguinte: «Será que há obscuras organizações ou monárquicos inconformados a quererem estragar as comemorações do centenário? É que a estátua de José Relvas acaba de ser roubada…» Entretanto, tomei conhecimento que este mesmo livro foi inserido no Plano Nacional de Leitura e teve o patrocínio… da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República. Disse para mim: aqui está a «resposta», aqui está a «justificação».
Ainda mais interessante, ontem soube da existência de um livro de Maria João Seixas intitulado «República das Mulheres», que pretende ser «uma celebração das letras portuguesas no feminino» e que… compila (como também se pode ver na... perdão, «no» Pitta) os depoimentos de 14 escritoras que são retratadas na capa em «pose contemporânea de busto da República». Entre elas estão… Inês Pedrosa e Patrícia Reis. Que sem dúvida sabem que na I República as mulheres eram pessoas de segunda categoria que não tinham, por lei, o direito de voto. Mas, pelos vistos, antes isso que «monárquicos inconformados»…

sexta-feira, outubro 01, 2010

Orientação: Simetria Sonora 2010

Hoje, Dia Mundial da Música, é novamente a data mais adequada para a apresentação da nova versão – a quinta – da Simetria Sonora. Mais 50 títulos foram acrescentados, pelo que são agora 250 discos de FC & F! A ler... e a ouvir.

segunda-feira, setembro 27, 2010

Orientação: Sobre centenários, no Público

Na edição de hoje (Nº 7480) do jornal Público, e na página 31, está o meu artigo «Em 2010, “não” a 1910, “sim” a 1810!» - é não só mais um texto sobre, e contra, o Centenário da República, mas também a favor da evocação da Guerra Peninsular, no bicentenário desta. (Referência também no Esquinas (78) e no MILhafre (18).)
Outras menções: Arundel; Causa Monárquica; Família Real Portuguesa; Mania de Escrever; Núcleo Monárquico de Abrantes; Pena e Espada; Plataforma do Centenário da República; Real Associação da Beira Litoral; Textos do Dolicocéfalo.
(Adenda: a todos os que pensaram, disseram e/ou escreveram que eu fui demasiado agressivo ou exagerado neste meu artigo, aconselho a que leiam outro artigo, de Vasco Graça Moura, sobre o tema; atentem no que alguém que se assume como republicano afirma sobre o período 1910-1926, e, principalmente, como leva ainda mais longe a comparação com o nazismo, ao mencionar o genocídio feito em Angola durante a Primeira Guerra Mundial.)

quinta-feira, setembro 16, 2010

Orientação: Sobre a imagem de Portugal

No Esquinas (77) e no MILhafre (17) está a partir de hoje uma reflexão sobre o que afecta e o que não afecta a imagem de Portugal, a partir de exemplos dados pelo (ainda) ministro Luís Amado.

quarta-feira, setembro 15, 2010

Obrigado: Aos que compareceram...

... Ontem, no Club Setubalense, para assistir e participar na 11ª edição da Tertúlia «Eis Bocage... Conversas de Botequim», em que «Espíritos das Luzes» constituiu o elemento central. Iniciativa realizada sempre na véspera do Dia da Cidade de Setúbal, que é também o do nascimento de Manuel Maria Barbosa du Bocage e feriado municipal, é por isso um dos momentos mais marcantes das Comemorações Bocagianas.
Agradeço aos actores que leram excertos (seis no total) do meu livro: Susana Brito e Susana Ganilho (Teatro Animação de Setúbal), Fernando Casaca e Rita Sales (Teatro do Elefante), Eduardo Dias e José Lobo (Teatro Estúdio Fontenova). Agradeço a Marcos Magalhães, d’Os Músicos do Tejo, que, nos intervalos entre as leituras, tocou no cravo peças musicais de, entre outros compositores, Carlos Seixas, João Baptista Avondano e José Joaquim dos Santos.
E agradeço principalmente a Manuel Augusto Araújo, assessor para a cultura da Câmara Municipal de Setúbal: que, antes de o contactar e conhecer, já tinha lido e gostado muito de «Espíritos das Luzes» - e voltou a demonstrá-lo no encontro de ontem, proferindo palavras elogiosas sobre o meu trabalho; que foi, pois, o principal responsável por esta enorme honra concedida ao meu livro e a mim – a de nos integrarmos, em lugar de destaque, na homenagem a um dos maiores escritores portugueses feita todos os anos pela sua cidade.

quinta-feira, setembro 09, 2010

Outros: «A República...» na TVI24

Na emissão de hoje do programa da TVI24 «Livraria Ideal», de João Paulo Sacadura, o entrevistado foi Miguel Real. Foram mostradas e mencionadas algumas das obras que escreveu e/ou em que participou, entre as quais «A República Nunca Existiu!» - mais ou menos a partir dos 17m30s, e depois também durante o genérico final.

terça-feira, agosto 31, 2010

Olhos e Orelhas: Segundo Quadrimestre de 2010

A literatura: «Pensamentos», Marco Aurélio; «Paraíso Perdido», John Milton; «A Conspiração dos Antepassados» e «O Evangelho do Enforcado», David Soares; «Padre António Vieira e a Cultura Portuguesa» e «Caça ao índio no Maranhão», Miguel Real; «A sinapse ambígua», Daniel Tércio; «Sincronicidade», «Liscon 2060» e «A síndroma de Abraão», João Barreiros; «Sonhos de planetas e estrelas», Luís Filipe Silva; «A dama de espadas», Alexsandr Pushkin.
A música: «The Song Remains The Same», Led Zeppelin; «Longe», Pedro Abrunhosa & Comité Caviar; «The Scream» e «Join Hands», Siouxsie & The Banshees; «Meddle», Pink Floyd; «Do It Yourself», Ian Dury & The Blockheads; «Love Songs», Elton John; «Sinfonias Nº 1 – Nº 2 – Nº 3 – Nº 4», Luís de Freitas Branco (pela Orquestra Filarmónica de Budapeste dirigida por András Kórodi, Gyula Németh e János Sándor).
O cinema: «A Outra Margem», Luís Filipe Rocha; «Monstros vs. Alienígenas», Rob Letterman e Conrad Vernon; «Bolt», Byron Howard e Chris Williams; «Looney Tunes – De Volta à Acção», Joe Dante; «O Gato no Chapéu», Bo Welch; «O Golpe Italiano», F. Gary Gray; «Cegueira», Fernando Meirelles; «Rapazes Voadores», Tony Bill; «Ponto de Zabriskie», Michelangelo Antonioni; «Super-Homem Regressa», Bryan Singer; «Música e Letras», Marc Lawrence; «Bandido Americano», Ridley Scott; «Sherlock Holmes», Guy Ritchie; «Alice na Terra das Maravilhas», Tim Burton; «Lua Nova», Chris Weitz; «Incepção», Christopher Nolan; «Nebulado com Possibilidade de Almôndegas», Phil Lord e Chris Miller; «Gran Torino», Clint Eastwood.
E ainda...: APEL – 80ª Feira do Livro de Lisboa; Pavilhão Atlântico de Lisboa – Metallica (2010/5/19); ATL-LWC/CHAIA – Colóquio Internacional «Cidades Históricas Virtuais – Reinventando a Investigação Urbana»; Clube Vilafranquense/Partido Comunista Português (Comissão Concelhia de Vila Franca de Xira) – Sessão de homenagem a Carlos Pato; Direcção Geral das Artes/Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira – Exposição «O que é o Teatro?»; Câmara Municipal de Loulé/Galeria de Arte Praça do Mar de Quarteira – Exposição «Do Levante – Pinturas» de Paulo Rosa Botelho; Museu do Oriente – Exposições «Presença Portuguesa na Ásia» + «Deuses da Ásia» + «Macau – Sentir o Património» + «Sangam»; Museu de Aveiro; Fábrica e Museu Histórico da Vista Alegre.

sábado, agosto 14, 2010

Oráculo: «Espíritos...» em Setúbal, em Setembro

O meu livro «Espíritos das Luzes», em que um dos protagonistas principais é (outro) Manuel Maria Barbosa du Bocage, vai ser uma das peças principais das Comemorações Bocagianas de 2010.
Ponto alto destas festividades anuais de Setúbal é o Dia da Cidade e de Bocage, a 15 de Setembro, dia do nascimento do poeta, e este ano, na véspera, realizar-se-á no Club Setubalense, a partir das 21 horas, a 11ª edição da tertúlia «Eis Bocage... Conversas de Botequim», cujo programa inclui a apresentação do meu livro, a leitura de trechos do mesmo – a cargo de actores do Teatro Animação de Setúbal, do Teatro do Elefante e do Teatro Estúdio Fontenova – e a actuação do músico Marco Magalhães, do grupo Os Músicos do Tejo.
A organização é da Câmara Municipal de Setúbal em colaboração com o jornal digital Setúbal na Rede. (Referência também na agenda do sítio da LeYa). 

quarta-feira, agosto 11, 2010

Outros: «Espíritos...» na «BiblioHistória»

O escritor Pedro Almeida Vieira criou, no seu sítio na Internet, o espaço «BiblioHistória», que pretende ser «uma tentativa de compilação do romance histórico publicado por escritores portugueses desde o século XIX, incluindo aqueles que, embora de outra nacionalidade, nasceram em antigas colónias portuguesas antes da independência desses países, bem como os que adoptaram dupla nacionalidade.» Experimentei ir à letra «E» e, para minha agradável surpresa, lá está «Espíritos das Luzes». O meu agradecimento a Pedro Almeida Vieira, e parabéns por esta iniciativa. (Referência também no Esquinas (76) e MILhafre (16).)

sexta-feira, agosto 06, 2010

Outros: Em português no TRC e na TS

Há exactamente um ano anunciei, no dia em que passavam dois séculos sobre o nascimento de Alfred Tennyson, a publicação de «Poemas», livro com traduções para português, feitas por mim, de 50 das criações daquele grande autor inglês do século XIX. Passados estes 12 meses, e depois de já ter oportunamente divulgado aqui as múltiplas referências em Portugal a este meu projecto, justifica-se agora referir que também na Grã-Bretanha ele foi conhecido e seguido desde o início: logo em 2008 contactei o Tennyson Research Centre e a Tennyson Society para informar estas instituições das minhas intenções; entretanto, e para além, claro, de exemplares da obra, o TRC já recebeu os «ecos» da sua edição no nosso país, tendo Grace Timmins, collections officer daquele Centro, comunicado que «It is a pleasure to develop the Portuguese side to the archive». Espero – e nesse sentido farei o que me for possível para – que esse «lado português» continue a aumentar.

sexta-feira, julho 16, 2010

Oráculo: «A República... 2» em 2011

Actualizando e corrigindo um primeiro anúncio que fiz no passado mês de Fevereiro, o Volume 2 de «A República Nunca Existiu!», (mais uma) antologia, organizada por mim, de contos originais de vários autores no âmbito da denominada «história alternativa», não vai ser publicado no próximo mês de Outubro, como inicialmente – e idealmente – previsto, mas sim no próximo ano, muito provavelmente na Primavera. A edição continua a cargo do grupo Saída de Emergência, mas a coordenação empresarial do projecto passou a ser de Maria João Costa, com quem já trabalhei no livro «Poemas» de Alfred Tennyson.

sexta-feira, julho 02, 2010

Outros: Perfil na Tempo Livre

Na edição de Julho-Agosto de 2010 (Nº 217) da revista Tempo Livre, e nas páginas 40-41, está o artigo «Octávio dos Santos, empreendedor cultural», escrito pela jornalista Manuela Garcia, que me entrevistou para delinear este breve perfil da minha vida e obra. (Referência também no sítio da SdE.)

terça-feira, junho 29, 2010

Orientação: Sobre (mais um) «adeus português»

No Esquinas (75) e no MILhafre (15) está a partir de hoje mais uma sucinta «dissertação», a pretexto de mais uma futebolística «desilusão», relativa a imbecis «iberismos».

quinta-feira, junho 10, 2010

Orientação: Sobre as (in)correcções dos «PC»

No Esquinas (74) e no MILhafre (14) está a partir de hoje um texto onde são recordadas e criticadas determinadas afirmações, bem como as pessoas que as proferiram, beneficiárias das incorrecções inerentes ao denominado «politicamente correcto».

sábado, junho 05, 2010

Obrigado: Aos que compareceram...

... Ontem, na Casa da Cultura de Mira Sintra, para me ouvirem, no âmbito da primeira feira do livro daquela autarquia, numa pequena palestra sobre «República e Monarquia», a propósito do centenário da implantação da primeira, e também de mais uma apresentação de «A República Nunca Existiu!» Um agradecimento muito especial: ao executivo daquela junta de freguesia, em especial a Albertina Santos, pelo muito simpático acolhimento que me deram; e ao meu amigo Sérgio Franclim, insigne mirasintrense e promotor da iniciativa, e que está duplamente de parabéns – por ter sido, no dia 1, pai pela primeira vez, e porque lançou (ontem e no mesmo local) mais um livro, intitulado «Eterno Viajante».

quinta-feira, junho 03, 2010

Obituário: João Aguiar

A voz de um amigo e de um mentor está, a partir de hoje, entre a dos deuses. João Aguiar morreu esta manhã em Lisboa, e, apesar de eu saber que há quase um ano enfrentava uma doença grave, para mim, bem como para muitas outras pessoas, o desfecho nunca deixaria de ser doloroso e inesperado.
Conheci-o primeiro, indirectamente, pelos seus livros, e depois, pessoalmente, em 1992, aquando da fundação da revista TV Mais, cuja redacção ambos integrámos por pouco tempo – ele havia sido convidado para director, mas saiu ainda antes do lançamento da edição de estreia (eu fiquei mais um ano). Posteriormente, reencontrámo-nos, várias vezes, nas sessões de autógrafos da Feira do Livro de Lisboa, e em 2006 convidei-o a participar no projecto «A República Nunca Existiu!», antologia publicada em 2008 para assinalar o centenário do Regicídio; o seu conto, «Seis momentos em tempo real», logicamente, foi o que abriu a obra. A sua presença numa iniciativa idealizada por mim é algo que muito me honrou e de que me orgulharei sempre.
Não tenho dúvidas de que as suas facetas de monárquico e de estudioso e entusiasta da História de Portugal me influenciaram fortemente, e que também contribuiram decisivamente para que eu próprio viesse a partilhar esses interesses. Porém, João Aguiar era, antes de tudo, um patriota – alguém que amava o seu país, embora este não tenha retribuído na mesma medida... Aliás, talvez não tenha sido por acaso que o seu último livro publicado em vida, «Super Portugueses», é uma colectânea de casos de lusitanos que se distinguiram, em diferentes épocas e em diversas actividades, pela coragem, pela dignidade, pela excelência – qualidades que actualmente tanto parecem rarear nesta nação.
Ele foi – é! – um «homem com nome», um «navegador (nem sempre) solitário», quantas vezes lutando contra «cantos de fantasmas» e «dragões de fumo». Que o «altíssimo», no seu «trono», lhe faça a «encomendação da alma», e para sempre lhe permita estar numa «catedral verde» a meio de um «jardim das delícias». (Evocação e homenagem também no Esquinas (73) e no MILhafre (13), referência no Nova Águia.)

terça-feira, junho 01, 2010

Orientação: Artigo no ARR da BHSP

No trigésimo sexto Relatório e Revista Anual da Sociedade Histórica Britânica de Portugal, relativo ao ano passado e agora editado, e nas páginas 133-135, está o meu artigo «Alfred Tennyson in Portugal - A double celebration», sobre a evocação, em 2009, de duas efemérides envolvendo o grande poeta inglês do século XIX: os 200 anos do seu nascimento e os 150 da sua visita a Portugal. Isto também a propósito, claro, do livro «Poemas» que eu organizei.

domingo, maio 30, 2010

Opções: Pelos judeus sefarditas

Assinei hoje a petição a favor da «restituição da nacionalidade portuguesa aos judeus sefarditas portugueses». Quem quiser fazer o mesmo deve ir aqui. Esta é uma posição que reiterei no Esquinas (72).

terça-feira, maio 25, 2010

Oráculo: Em Sintra a 4 de Junho

Por sugestão, e convite, de Sérgio Franclim, que também deverá participar, no próximo dia 4 de Junho (sexta-feira), e a partir das 11 horas, vou estar na Casa da Cultura de Mira Sintra para um encontro e debate com alunos dos 2º e 3º ciclos de escolaridade sobre o tema «República e Monarquia» - tomando como pretexto, igualmente, (mais) uma apresentação do livro «A República Nunca Existiu!» Organizada pela Junta de Freguesia de Mira Sintra, a iniciativa insere-se no âmbito da primeira feira do livro daquela autarquia.

terça-feira, maio 18, 2010

Orientação: Sobre «dançar o tango»

No Esquinas (71) e no MILhafre (12) está a partir de hoje uma breve reflexão sobre «dançar o tango» - não, não é o genuíno, o argentino, mas sim... outro.

domingo, maio 16, 2010

Orientação: Obamatório chega às 100

O meu blog Obamatório chegou hoje às 100 entradas com a publicação do texto «U. R. S. A.», em que abordo as «simpatias socialistas» de vários apoiantes e conselheiros de Barack Obama.
Nos últimos 50 posts a diversidade dos temas abordados no meu «repositório-observatório-laboratório» sobre a política e a sociedade nos EUA continuou a ser a característica dominante, com destaque para: mais vénias feitas pelo presidente (aqui, aqui e aqui); o Partido Democrata como bastião dos racistas e dos ricos; figuras patéticas como Harry Reid, Keith Olbermann, Alan Grayson e Nancy Pelosi; mais trapalhadas na segurança e na defesa, com reacções frouxas a um recrudescimento do extremismo islamita; aumento da agressividade e da demagogia em Washington; hipocrisias e cobardias de Hollywood; a falência de uma falácia chamada «aquecimento global» (aqui e aqui). E muito mais...
O «Ob» promete continuar a ser o que tem sido: um espaço privilegiado, e talvez único, em português onde com regularidade se dão a conhecer as informações e as opiniões sobre o que verdadeiramente acontece nos EUA... e que os media portugueses insistem em ignorar. (Referência também no Esquinas (70).)

sábado, maio 15, 2010

Obrigado: Aos que compareceram...

... Hoje à sessão de autógrafos do meu livro «Espíritos das Luzes» na «Praça LeYa» da 80ª Feira do Livro de Lisboa, onde tive a companhia de João Barreiros e de Telmo Marçal, presentes igualmente para autografarem os seus livros. Um agradecimento especial – mais um - para Pedro Reisinho, editor da Gailivro e responsável por esta agradável iniciativa.

terça-feira, maio 11, 2010

Orientação: Sobre a visita do Papa

No Esquinas (69) e no MILhafre (11) está a partir de hoje uma breve reflexão a propósito da visita do Papa Bento XVI a Portugal.

segunda-feira, maio 03, 2010

Oráculo: Colóquio sobre cidades virtuais, dia 21

No próximo dia 21 de Maio (sexta-feira), e entre as 9.30 e as 18.30 horas, vai decorrer no Lisbon Welcome Center/Associação de Turismo de Lisboa (Rua do Arsenal, 15), o colóquio internacional «Virtual Historic Cities – Reinventing Urban Research» («Cidades Históricas Virtuais – Reinventando a Investigação Urbana»).
Esta iniciativa constitui a fase mais recente do desenvolvimento do projecto Ópera do Tejo/Lisboa Pré-Terramoto de 1755, projecto este que resultou de uma ideia minha, surgida aquando da elaboração do meu livro «Espíritos das Luzes». Referências a este evento foram também feitas: pela Beta Technologies; pela Câmara Municipal de Lisboa; pelo jornal i; pelo blog Nova Águia; pela Universidade Aberta; pela Universidade de Coimbra; pela EuroMACHS.
A organização é do Centro de História de Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora. Da lista de oradores fazem parte, entre outros, quatro dos meus colegas de equipa – Alexandra Gago da Câmara, Helena Murteira, Luís Richheimer de Sequeira e Paulo Rodrigues – e ainda convidados estrangeiros como Bernard Frischer, Drew Baker e Richard Beacham.
Entretanto, o libreto de «Alexandre na Índia», ópera (composição) que estreou a Ópera do Tejo (edifício), está disponível aqui.   

sexta-feira, abril 30, 2010

Olhos e Orelhas: Primeiro Quadrimestre de 2010

A literatura: «A Mitologia Portuguesa», Sérgio Franclim; «Bilhete de Identidade – Memórias 1943-1976», Maria Filomena Mónica; «Memórias Póstumas de Brás Cubas», Machado de Assis; «Xochiquetzal – Uma Princesa Asteca entre os Incas», Gerson Lodi-Ribeiro; «Cartas a um Jovem Poeta», Rainer Maria Rilke; «Juventude», Joseph Conrad; «O pequeno herói», Fiodor Dostoievski; «Aerofobia», «Cegueira artificial» e «Uma turista de outro mundo», Luís Richheimer de Sequeira.
A música: «Liebe Ist Fur Alle Da», Rammstein; «Love Hunter», Whitesnake; «Mafalda Arnauth», Mafalda Arnauth; «Atom Heart Mother», Pink Floyd; «The Resistance», Muse; «I Dreamed A Dream», Susan Boyle; «Humanoid», Tokio Hotel; «Panpipe Plays Enya», Shane Maguire; «Música Coral», Fernando Lopes Graça (pelo Coro Gulbenkian dirigido por Jorge Matta); «Missa Grande», Marcos Portugal (pelo Coro de Câmara de Lisboa dirigido por Teresita Gutierrez Marques).
O cinema: «Acima», Pete Docter; «O Diabo Veste Prada», David Frankel; «Zodíaco», David Fincher; «Harry Potter e o Príncipe Meio-Sangue», David Yates; «Valsa com Bashir», Ari Folman; «Call Girl», António Pedro Vasconcelos; «Valquíria», Bryan Singer; «O Feriado», Nancy Meyers; «A Ressaca», Todd Phillips; «E a tua Mamã Também», Alfonso Cuarón; «Cavaleiro Fantasma», Mark Steven Johnson; «Saltador», Doug Liman; «Transformadores – Vingança do Caído», Michael Bay; «Persona» e «Sonata de Outono», Ingmar Bergman; «Avatar», James Cameron; «A Canção da Terra» e «Chaimite», Jorge Brum do Canto; «A Quadrilha Selvagem» e «Pat Garrett e Billy The Kid», Sam Peckinpah; «Memórias de uma Gueixa», Rob Marshall; «Anjos e Demónios», Ron Howard; «Aparelho Voador a Baixa Altitude», Solveig Nordlund; «Definitivamente, Talvez», Adam Brooks; «Caminho das Estrelas», J. J. Abrams; «A Perseguição da Felicidade», Gabriele Muccino; «Noite no Museu – Batalha do Smithsonian», Shawn Levy; «Watchmen», Zack Snyder; «Brandos Costumes», Alberto Seixas Santos.

quinta-feira, abril 29, 2010

Outros: Livros com História(s)

A Feira do Livro de Lisboa abre hoje e «fechará as portas» a 16 de Maio – no penúltimo dia estarei, como já anunciei, junto ao pavilhão da Gailivro, no espaço LeYa, para autografar exemplares do meu livro «Espíritos das Luzes».
Porém, e para além do(s) meu(s) livro(s), quero destacar aqui outros editados mais ou menos recentemente: «A Conspiração dos Antepassados» e «O Evangelho do Enforcado», de David Soares; «Super Portugueses», de João Aguiar; «A Ministra», de Miguel Real; «O Marquês de Soveral – Seu Tempo e Seu Modo», de Paulo Lowndes Marques; «Via Aberta», de Renato Epifânio; «Aventuras Misteriosas – O Segredo Templário», de Sérgio Franclim.

quarta-feira, abril 28, 2010

Outros: Crítica a «Espíritos...»

Rogério Ribeiro, no seu blog I Dream In Infrared, colocou hoje a sua crítica ao meu livro «Espíritos das Luzes»... um ano depois de ele ter sido publicado. De facto, mais vale tarde do que nunca... No momento em que escrevo esta entrada apenas lá estão dois comentários que constituem a minha (primeira) réplica à sua recensão – sendo de supor que outros, meus e não só, se poderão suceder. (Actualização: Rogério Ribeiro voltou a «postar» sobre o meu livro, propondo a leitura «em linha» dos seus dois primeiros capítulos; e Cristina Alves menciona a crítica de RR, juntando comentários dos quais já pedi esclarecimento).

sexta-feira, abril 16, 2010

Oráculo: Na Feira do Livro a 15 de Maio

No próximo dia 15 de Maio de 2010 (sábado), e a partir das 15.30, irei estar – juntamente, está previsto, com João Barreiros e Telmo Marçal – na Feira do Livro de Lisboa, mais concretamente junto ao pavilhão da Gailivro no espaço do Grupo LeYa. Estarei disponível para autografar exemplares do meu livro «Espíritos das Luzes», e aqueles outros dois autores estarão disponíveis para autografar exemplares dos seus mais recentes livros, editados igualmente na colecção «1001 Mundos», respectivamente «Se Acordar Antes de Morrer» e «As Atribulações de Jacques Bonhomme».

Outros: «Espíritos...» na revista do ACMP

O meu livro «Espíritos das Luzes» foi objecto de uma recensão publicada na revista do Auto-Club Médico Português, Nº 189, 2010/Janeiro-Fevereiro-Março, página 39. Escrita por Diogo Lapa, intitula-se «Escrita de fusão». Seguem-se alguns excertos:
«(...) Já há muito que não lia um livro com tanto prazer. Como sou nostálgico e acusado de viver no passado mas também sonhador e deslumbrado pelas novidades vibrei com a fusão introduzida por este criativo escritor na sua referida obra. (...) É este o engenho de quem consagra o tempo à escrita literária e, no fundo, a qualquer outra manifestação artística: o saber surpreender-nos com a sua subjectividade, ou seja, com a sua maneira própria e original de ver o Mundo. (...) Reconhecemos uma pesquisa exaustiva de textos históricos mas a forma como os lemos ou relemos é proporcionada através de cenários tremendamente inventivos. (...) Tudo é um pretexto apetecível para seguirmos Bocage neste percurso deveras surpreendente.»

Orientação: A minha página nas BLX

domingo, abril 11, 2010

Orientação: Sobre um embaixador

No Esquinas (68) e no MILhafre (10) está a partir de hoje um artigo com um relato mais ou menos pormenorizado de uma recente «troca de ideias» que tive com Francisco Seixas da Costa, embaixador de Portugal em França (referência também aqui).

segunda-feira, março 29, 2010

Orientação: Sobre Herculano

No Esquinas (67) e no MILhafre (9) está a partir de hoje uma breve evocação de Alexandre Herculano a propósito do bicentenário do seu nascimento, que ontem se assinalou.

segunda-feira, março 08, 2010

Orientação: Artigo na Bang!

Na edição de Fevereiro de 2010 (Nº 7) da revista Bang!, e nas páginas 20-24, está o meu artigo «O druida de Somersby», que consiste fundamentalmente na biografia de Alfred Tennyson que eu escrevi para a minha tradução de «Poemas» daquele autor – aliás, na página 19 da revista está também um desses 50 poemas traduzidos, «O Kraken». (Actualização: a revista pode ser acedida electronicamente aqui.)

domingo, março 07, 2010

Outros: «A República...» na rádio (outra vez)

A emissão de hoje do programa da RTP/Antena 1 «Rádio República», de Maria Flor Pedroso, transmitido entre as 13 e as 14 horas, incluiu a entrevista que concedi a Ana Aranha no programa «À Volta dos Livros» em 2008, a propósito do livro «A República Nunca Existiu!», que eu concebi, organizei e em que participei. A ouvir aqui (em especial no primeiro minuto e, depois, entre os minutos 29 e 34).

sexta-feira, março 05, 2010

Outros: «Poemas» com cinco estrelas

Na edição de hoje (Nº 7274 – especial do 20º aniversário) do jornal Público, e nas páginas 58 e 60 do caderno Ípsilon, está uma recensão crítica a «Poemas» de Alfred Tennyson, que atribui a este meu projecto a classificação (máxima) de cinco estrelas. Tanto o texto, intitulado «Um sombrio cultor da beleza», como a avaliação são da autoria e responsabilidade de Maria da Conceição Caleiro.
«(...) Alfred Tennyson (1809-1892), poeta da língua inglesa, poeta laureado da época vitoriana, outrora o mais popular e disputado, surge agora traduzido, e bem, pela primeira vez em língua portuguesa. Tradução que em prefácio declara os seus princípios: “o mais literal possível (…) nunca seria capaz de deturpar (…) apenas para ‘soar’ bem.” Mesmo assim soa, e a poeticidade é-lhe restituída. (...)» (Referência e versão integral também aqui.) 

segunda-feira, março 01, 2010

Orientação: Artigo na Tempo Livre

Na edição de Março de 2010 (Nº 213) da revista Tempo Livre, e nas páginas 44-46, está o meu artigo «O músico de "Deus" e do "Diabo"», sobre a vida e a obra do compositor português António Teixeira. (Referência também no Esquinas (66) e no MILhafre (8).)

domingo, fevereiro 28, 2010

Orientação: Mais um artigo no Público

Na edição de hoje (Nº 7269) do jornal Público, e na página 35, está o meu artigo «Palavras de honra» - sim, é mais um texto sobre, e contra, o «Acordo Ortográfico». (Referência também no Esquinas (65) e no MILhafre (7), e ainda no Terras Altas.) Um trabalho que proporcionou igualmente: provocações pueris de Rui Tavares (ver aqui e aqui), aliás condizentes com a personalidade (?) desta personagem; e uma polémica com um «comissário político-ideológico-cultural» chamado Jorge Candeias (ver, deste texto, os comentários).

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

Opções: Contra a tourada (outra vez)

Assinei hoje a petição «Contra a criação de uma secção de tauromaquia no Conselho Nacional de Cultura». Quem quiser fazer o mesmo deve ir aqui. Esclareço, porém, novamente, que não sou militante ou simpatizante do denominado «Partido Pelos Animais», que promove a iniciativa. Esta é uma posição que reiterei no Esquinas (64) e no MILhafre (6).

terça-feira, fevereiro 09, 2010

Opções: Todos pela Liberdade

Assinei hoje a petição «Todos pela Liberdade». Quem quiser fazer o mesmo deve ir aqui. Esta é uma posição que reiterei no Esquinas (63) e no MILhafre (5).

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Orientação: Sobre Pessoa e a República

No Esquinas (62) e no MILhafre (4) recordo e reproduzo, em atenção às datas não só de hoje mas também de ontem, «o que Fernando Pessoa pensava da República...» (referência também no Nova Águia).

Oráculo: «A República... 2» em Outubro

Está em preparação o Volume 2 de «A República Nunca Existiu!», com data prevista de lançamento, obviamente, para o próximo mês de Outubro – será uma forma de «comemorar» condignamente o centenário da implantação da dita cuja. Entre os autores que já aceitaram o meu convite para participar – com um conto original da sua autoria – estão António de Macedo, Daniel Tércio, David Soares, Isabel Cristina Pires e Luís Filipe Silva.

Outros: Conto sobre «A República...»

Dois anos depois da edição de «A República Nunca Existiu!» continuo a encontrar referências a este meu projecto. Hoje divulgo o conto «A outra margem» que Nuno Fonseca colocou no seu blog Inner Space como forma de «comemorar a (então) recente publicação» da colectânea que eu concebi e que foi lançada aquando do centenário do regicídio de 1908.

quarta-feira, janeiro 20, 2010

Outros: «Poemas» na Rede

Quem não ouviu hoje pela rádio a entrevista que concedi a Ana Aranha, da Antena 1, no programa «À Volta dos Livros», sobre «Poemas» de Alfred Tennyson, pode ouvi-la aqui (ou aqui, através da SdE).
Entretanto, este livro já foi mencionado em vários sítios – em especial blogs – da Internet. Para além dos já anotados em Dezembro, apontamos agora: A Cidade do Sossego; Arlindo Correia; Arquipélago LivrosBela Lugosi Is Dead (com uma crítica também referida pela Saída de Emergência); Blogue Notas; Diário Digital; Entre Páginas; MontagO Novo Ecléctico; Páginas Desfolhadas; Papéis e Letras; Poesia IncompletaPoetíciaTudo Bem Quando Termina Bem. E ainda... a página na Wikipédia sobre Sintra (ver em «Notas e referências»)!

terça-feira, janeiro 12, 2010

Oráculo: «Poemas», dia 20, na Antena 1

Hoje desloquei-me à sede da RTP, em Lisboa, onde concedi uma breve entrevista, sobre o livro «Poemas» de Alfred Tennyson, à jornalista Ana Aranha, que será transmitida no programa «À Volta dos Livros» da Antena 1 no próximo dia 20 de Janeiro, às 17.20 e às 21.20 (e às 4.20 de dia 13).

quarta-feira, janeiro 06, 2010

Outros: «Espíritos...» em retrospectivas

«Espíritos das Luzes» foi referido recentemente em duas retrospectivas, uma da década, outra do ano.
Na primeira tal deveu-se a Miguel Real, que no seu artigo «Em busca de um novo cânone», publicado no Jornal de Letras, Artes e Ideias Nº 1024 (2009/12/30, páginas 8-10), me aponta, pelo meu livro, como uma das «seis superiores novidades» da década «no campo do romance histórico», e que «evidenciam-se como as mais originais e consistentes, que prometem substituir as clássicas obras de Fernando Campos e João Aguiar».
Na segunda tal deveu-se a Cristina Alves, que no seu blog Rascunhos inclui o meu livro nos «Lançamentos portugueses 2009 (Fantasia, Ficção Científica e Horror)» (2009/12/28) merecedores de menção.

terça-feira, janeiro 05, 2010

Orientação: Sobre Marilyn Manson

A partir de hoje, dia em que se celebra mais um aniversário (o 41º) do nascimento de Brian Hugh Warner, ou seja, de Marilyn Manson, está disponível no Esquinas (61) o meu artigo «O homem por detrás do espelho», publicado na revista Blitz (Nº 42) de Dezembro de 2009.

domingo, janeiro 03, 2010